Tem um percurso como atriz, criadora e investigadora do movimento aplicado à
criação e à pedagogia.

Mestre em Teatro/Movimento, pela E.S.T.C./IPL e licenciada em Filosofia
F.C.S.H./UNL; formou-se como atriz no Estúdio Nancy-Tuñon, em Barcelona, durante três anos, depois de ter integrado o Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra.
Foi selecionada para a École des Maîtres em 2005, com Carlo Cecchi. Foi assistente da École des Maîtres em 2006 e 2008, com Pipo Delbono e Enrique Diaz. Segue o treino com os métodos Suzuki e Viewpoints, com a SITI Company, de Anne Bogart (NY), desde 2010, tendo estado em Nova Iorque como bolseira da Fundação GDA. Esteve, em 2019, no Japão com a SCOT (Suzuki Company of Toga), também com apoio da GDA. Em 2021 iniciou uma investigação com o Mary Overlie Legacy Project (em curso).

Como criadora em Portugal e Espanha, destaca as colaborações com Artistas Unidos, Inestética, Graeme Pullyen, Sonoscopia, Márcia Lança, Marta Pazos (ES), Marlene Barreto, Teatro do Montemuro, Teatro de Cerca (ES) e Companhia Caótica, com quem tem trabalhado como atriz, encenadora, movimento e dramaturgia cénica. Trabalhou ainda em Itália com o Teatro Stabile delle Marche e Carlo Cecchi.

Como intérprete, tem atualmente em cena as peças CORPO-MAPA-LIVRO, com direção de Marina Nabais e O MEU AMOR VIRÁ DE COMBOIO, com encenação de Sónia Barbosa.
Antes da Mente de Cão, estreou projetos como A FUGA DE WANG-FO (a partir do
Conto Oriental de Marguerite Yourcenar), EMACIGARRAMENTO e ANTÍGONA OU A TERRÍVEL INOCÊNCIA, em parceria com o Museu Nacional do Teatro, Balleteatro, EVOE- Escola de Atores, Teatro do Bairro, o Teatro da Cerca de São Bernardo, entre outros, e com apoios da dgartes, Fundações Gulbenkian e GDA.
Atualmente, é professora assistente de Corpo no 2º ano da Licenciatura da E.S.T.C/I.P.L. Leciona módulos de Movimento no Curso Profissional de Artes do Espetáculo do Instituto Desenvolvimento Social, desde 2010. Foi professora da Licenciatura em Artes Performativas, da Escola Superior Tecnologias Artes de Lisboa (ESTAL), entre 2010 e 18 e na EVOÉ – Escola de Atores de 2010 a 2020. Colabora com vários projetos pedagógicos, como LABOR do Teatro LU.CA (2019), Carta Coreográfica (Madalena Vitorino, dgartes) e Curso Zero e outros projetos do CEM- Centro Em Movimento (20013-14).

Comunicou nas Conferências O CORPO QUE FALA E PENSA (ESTAL) e CORPOS (IM)PERFEITOS (Cª de Dança de Almada, FMH); colaborou com a Revista OSSO em 2021 e em 2022 com o Centro de Estudos Sociais da U.C. em DeCode /M (em curso).